O principal veículo de transmissão de microorganismos nos serviços de saúde são as mãos. Tanto dos pacientes, quanto dos acompanhantes, e até mesmo dos profissionais de saúde que estão sempre em contato com os materiais e equipamentos por eles utilizados. Por isso, a higiene das mãos é uma das medidas fundamentais para prevenir a disseminação das IRAS (Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde).

A maior parte das infecções hospitalares é provocada por micro-organismos presentes no próprio paciente. Em geral, são micro-organismos que já vivem no nosso corpo ou no meio ambiente e se aproveitam quando o sistema de defesa do paciente está mais frágil.

As infecções adquiridas em serviços de saúde podem ser provocadas também por falha nos procedimentos realizados pelos profissionais de saúde e serem transmitidas pelas mãos do profissional, por materiais ou por contato com outros pacientes infectados.

Pessoas internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) têm ainda maior probabilidade de contrair infecções, pois o uso de equipamentos invasivos, como cateter e respirador (para ventilação mecânica), facilitam a entrada de bactérias e vírus. Lesões na pele do paciente também são portas de entrada para essas infecções. Por isso, a higiene das mãos antes e depois de uma visita ou contato com o paciente é uma das recomendações mais básicas na prevenção de infecções. O objetivo aqui é prevenir as infecções e dar segurança aos pacientes, além de garantir que todos estejam bem informados sobre os cuidados a serem tomados. Uma das principais orientações aos profissionais é que deve-se retirar adornos como anéis, pulseiras e relógio, e obedecer as normas de higiene adotados pela unidade. Então não esqueça: um dos maiores causadores de infecções em um ambiente hospitalar pode estar nas nossas próprias mãos. Uma dica das equipes médicas do GRAÇAS.

© 2016 - Nossa Senhora das Graças