Pacientes do Hospital Nossa Senhora das Graças recuperadas de Covid-19 encontraram uma forma de retribuir à sociedade pelo atendimento recebido. Em diálogo com o clínico-geral Ednilson Lautenschlager, o grupo atendido na ala de convênios e particular tem organizado uma agenda de doações para pacientes do Sistema Único de Saúde da instituição.

No final de setembro, foi a vez de Mariana Patrícia Pereira Souza (na foto, com a equipe do hospital), 36 anos, trazer kits de higiene. A engenheira de computação esteve internada no HNSG por quase dois meses, entre março e abril de 2021, período mais crítico da pandemia. De acordo com Lautenschlager, ela foi a primeira paciente a ter 100% de comprometimento do pulmão identificado em tomografia, mas hoje está quase sem sequelas, apenas em tratamento por bronquite e acompanhamento das cicatrizes pulmonares.

Retribuição
“Foi um período bem difícil, mas só fui saber do colapso hospitalar e da gravidade do meu caso depois. Fui muito bem cuidada pela equipe da internação e na reabilitação, com a fisioterapeuta do hospital, que é excelente”, relembra Mariana, que é de Brasília e se mudou para Canoas a serviço. “Também tive muito apoio da comunidade do trabalho, muita gente me ajudou. Tem uma expressão em inglês que usamos muito, que é pay it forward [retribuição], então queria fazer algo para ajudar e, como não conheço tanto Canoas, perguntei ao Dr. Ednilson como poderia colaborar”, explica.

Sabendo da demanda por artigos de higiene, a engenheira já havia doado pacotes de fraldas logo após sua alta. “São produtos caros e, com a alta dos preços, que pesam muito para as famílias”, pontua.

Anjos da guarda
A professora de educação especial Darlaine Ramires Schauer, 54 anos, trata a equipe do Graças como “anjos da guarda”. Moradora de Esteio, ela também esteve internada durante a forte onda de Covid-19 em março. “Sempre fui muito bem atendida no Gracinha, e desta vez encontrei anjos no hospital, o Dr. Ed, que eu já trato com intimidade porque é como da família, as equipes de enfermagem, de limpeza, das portarias… Preciso agradecer a todos”, emociona-se.

Foi o marido de Darlaine o primeiro a buscar formas de agradecer e soube da possibilidade de fazer doações para os pacientes do SUS. “Então montamos kits de higiene com muita alegria, meus olhos se enchem só de lembrar”, conta a professora, que ainda deve voltar ao trabalho nos próximos dias. “Foi complicado, fiquei 14 dias intubada, tive diversas sequelas, das quais ainda sigo em tratamento. É difícil para mim e para minha família. Mas o tratamento recebido no hospital foi fundamental para minha recuperação, e hoje o Gracinha faz parte do meu coração.”

Como ajudar
Além de fraldas adultas, o Serviço Social do Graças também salienta a necessidade de artigos como desodorantes e absorventes, além de chinelos. Quem quiser ajudar, pode entrar em contato com o setor, pelo telefone (51) 2102-1140.

© 2016 - Nossa Senhora das Graças